O estudante de graduação e a vivência em rodas de Terapia Comunitária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51723/ccs.v29i04.345

Palavras-chave:

Educação em Enfermagem, Terapia Comunitária, Formação Profissional, Saúde Mental

Resumo

Introdução: A vida acadêmica é um período de transformação, que abarca o preparo para a trajetória profissional. Na formação em saúde, a complexidade dos conteúdos gera pressões e estresse que refletem na saúde mental. Dessa forma, a Terapia Comunitária se apresenta como um espaço de encontros interpessoais de valorização da história de vida, resgate da identidade, autoestima, percepção dos problemas e possibilidades de sua resolução. Objetivo geral: Analisar a percepção de estudante de graduação em vivências de rodas de Terapia Comunitária e o impacto dessas em sua qualidade de vida. Trajetória metodológica: pesquisa de campo do tipo exploratório, com abordagem qualitativa. Como atividade de extensão, foram desenvolvidas rodas de Terapia Comunitária voltadas a estudantes de graduação em enfermagem. Foi realizada entrevista com questões norteadoras, mesclada com narrativas de momentos vivenciados. A análise dos dados foi fundamentada na Análise de Conteúdo, que culminou nas categorias “contribuições para saúde e a qualidade de vida” e “reconhecimento de si e do outro”. Resultados / Discussões: As rodas de Terapia Comunitária estimularam o desenvolvimento de ações de promoção e proteção, favorecendo o acesso e acolhimento ao estudante de graduação, constituindo-se como um desafio na construção do cuidado da saúde mental. Tornaram-se espaços de encontros calorosos e favoreceram o fortalecimento de vínculo. Considerações finais: Durante as rodas, o foco dado à valorização de cada história de vida, ao resgate de identidade, à restauração de confiança e da autoestima possibilitou a melhor percepção do cotidiano e melhor tomada de resolução para os problemas dos estudantes.

Palavras-chave: Educação em Enfermagem; Terapia Comunitária; Formação Profissional; Saúde Mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maristela dos Reis Luz Alves, Escola Superior em Ciências da Saúde - ESCS

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Maranhão (1985) e mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília (2000). Atualmente é docente da Escola Superior de Ciências da Saúde e médico - Secretaria de Estado de Saúde Pública do Distrito Federal. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina, atuando principalmente nos seguintes temas: tuberculose, epidemiologia, avaliação de programa, vigilancia epidemiologica e esquistossomose.

Daniela Martins Machado, Escola Superior em Ciências da Saúde - ESCS

Possui graduação em Enfermagem Obstetrícia pela Universidade de Brasília (1994), Especialização em Psicologia Social, pelo Instituto Pichon Rivière (1999), Formação em Psicologia Transpessoal pelo Grof Transpersonal Training USA-Brazil, Mestrado em Ciências da Saude pela Universidade de Brasília (2006) e é doutoranda no Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura da Universidade de Brasília. Docente da Escola Superior de Ciências da Saúde da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (desde 2010), onde ocupa a função de Gerente de Educação do Curso de Graduação em Enfermagem. Membro da Associação Brasileira de Enfermagem.

Lindalva Matos Ribeiro Farias, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal

Possui graduação em ENFERMAGEM pela Universidade Católica de Goiás (1998) e mestrado em Gerontologia pela Universidade Católica de Brasília (2007). Especialização em Educação pela UNB e em enfermagem à pacientes críticos. Atualmente é enfermeira da SES-DF , docente e coordenadora do Curso de Graduação em Enfermagem da Escola Superior de Ciências da Saúde da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde . Tem experiência na área de Enfermagem, saúde do idoso , emergência ,Médico-Cirúrgica e saúde pública , atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem, biossegurança , feridas, idoso, assistência de enfermagem e programas de saúde .

Maria Aureni de Lavor Miranda, Escola Superior em Ciências da Saúde - ESCS

Possui graduação em Licenciatura Plena pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1995), graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará (1988), graduação em Enfermagem e Obstetricia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1994) e mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2000). Atualmente é docente do Departamento de Enfermagem do Centro Universitário(UDF); docente da Escola Técnica de Saúde de Brasilia e da Escola Superior de Ciências da Saúde vinculadas - Secretaria de Estado de Saúde Pública do Distrito Federal.

Referências

1. Bampi LNS, Baraldi S, Guilhem D, Pompeu RB, Campos ACO. Percepção sobre qualidade de vida de estudantes de graduação em enfermagem. Rev Gaúcha Enferm.2013; 34(1):125-32.
2. Monteiro CFS, Freitas JFM, Ribeiro AAP. Estresse no cotidiano acadêmico: o olhar dos alunos de enfermagem da Universidade Federal do Piauí. Esc Anna Nery 2007 mar; 11(1):66-72.
3. Oliveira EB, Cunningham J, Strike C, Brands B, Wright MGM, Normas percebidas por estudantes universitários sobre o uso de álcool pelos pares. Rev. Latino-Am. Enfermagem 2009; 17(n. esp.):878-85 [acesso em 04 out 2018]. Disponível em: http://www.eerp.usp.br/rlaeArtigo
4. Benavente SBT, Silva RM, Higashi AB, Guido LA, Costa ALS. Influência de fatores de estresse e características sociodemográficas na qualidade do sono de estudantes de enfermagem. RevEscEnferm USP 2014; 48(3):514-20 [acesso em 1º out 2018]. Disponível em: http://www.ee.usp.br/reeusp/
5. Barreto A.Terapia comunitária passo a passo. Fortaleza: Gráfica LCR; 2008.
6. Bardin L. Análise de conteúdo. Trad. de Luiz Reto. São Paulo: Edições 70; 2016.
7. COFEN (Conselho Federal de Enfermagem). Fundação Oswaldo Cruz. Pesquisa do perfil da enfermagem no Brasil, 2015 [acesso em 04 ago 2018]. Disponível em:http://www.cofen.gov.br/ perfilenfermagem/
8. Ito EE, Peres AM, Takahashi RT, Leite MMJ. O ensino de enfermagem e as diretrizes curriculares nacionais: utopia x realidade. Rev. esc. enf. USP 2006; 40(4):570-5 [acesso em 1º out 2018]. Disponível em: http://www.ee.usp.br/reeusp/
9. Mizukami MGN. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: E.P.U.; 2013.
10. Machado DM, Gottems LBD, Pires MRGM. Aprendizagem em saúde mental por meio da produção videográfica: relato de experiência. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2013 dez; 22(4):1205-13[acesso em 21 set 2015]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072013000400040&lng=en&nrm=iso
11. Moura AS, Machado DM. A utilização de metodologias ativas no ensino do cuidar em saúde. In França FCV, Melo MC, Monteiro SNC, Guilhem D. O processo de ensino e aprendizagem de profissionais de saúde: metodologia da problematização por meio do arco de Maguerez. Brasília: Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde; 2016.
12. Tenório LP, Argolo VA, Sá HP, Melo EV, Costa EFO. Saúde mental de estudantes de escolas médicas com diferentes modelos de ensino. Rev. bras. educ. med. 2016; 40(4): 574-82.
13. Melo BC, Sant'ana AG. A prática da Metodologia Ativa: compreensão dos discentes enquanto autores do processo ensino-aprendizagem. Comun. ciênc. saúde. 2012; 23(4):327-39.
14. Schmidt G, Vermeulen L, Van Der Molen HT. Efeitos de longo prazo da aprendizagem baseada em problemas: uma comparação de competências adquiridas por graduados de uma escola médica baseada em problemas e convencional. Med.Educ. 2006 jun; 40(6):562-7.
15. Corral-Mulatos, Baldisserov DA, Santos JL, Philbert LAS. Estresse na vida do acadêmico em enfermagem. (Des)conhecimento e prevenção. Invest. educ. enferm. 2011; 29(1):109-17.

Downloads

Publicado

24.07.2019

Como Citar

1.
Moura AS, Alves M dos RL, Machado DM, Farias LMR, Miranda MA de L. O estudante de graduação e a vivência em rodas de Terapia Comunitária. Com. Ciências Saúde [Internet]. 24º de julho de 2019 [citado 22º de fevereiro de 2024];29(04). Disponível em: https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/345

Edição

Seção

Educação

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)