Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude <p>A Revista Comunicação em Ciências da Saúde foi criada em 1990 com o nome de Revista de Saúde do Distrito Federal e a partir de 2006, passou para a denominação atual. É uma revista da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) e tem regularidade trimestral. Sua distribuição é gratuita para as instituições acadêmicas de todo o Brasil e para a rede do Sistema Único de Saúde do Distrito Federal (DF).</p> pt-BR <p>Declaro para os devidos fins que o artigo que estou submetendo representa um trabalho original e nunca foi publicado total ou parcialmente, e que se alguma de suas partes foi publicada possuímos autorização expressa para a publicação no periódico <em>Comunicação em Ciências da Saúde (CCS)</em>. Esse artigo não foi enviado a outro periódico e não o será enquanto estiver sendo considerada sua publicação; caso venha a ser aceito não será publicado em outro periódico; e não contém material difamatório ou ilegal sob nenhuma forma, não viola a intimidade de terceiros, nem infringe direitos protegidos.</p> <p>Eu e demais autores desse trabalho certificamos por meio desta declaração que:</p> <ul> <li>Concordamos com as normas editoriais e com o processo de revisão da CCS;</li> <li>Aceitamos a responsabilidade pela conduta desse estudo e pela análise e interpretação dos dados;</li> <li>Cooperaremos, sempre que solicitado, na obtenção e fornecimento de dados sobre os quais o manuscrito está baseado, para exame dos avaliadores;</li> <li>Não estão sendo omitidos quaisquer ligações ou acordos de financiamento entre os autores e companhias ou pessoas que possam ter interesse no material abordado no artigo;</li> <li>Não estão sendo excluídos ou omitidos deste artigo autores ou instituições participantes;</li> <li>Possuímos permissão para uso de figuras e tabelas publicadas em outras fontes;</li> <li>Possuímos permissão das pessoas e instituições citadas nos agradecimentos;</li> <li>O autor correspondente autoriza a publicação do endereço informado e e-mail do(s) autor(es) junto com o artigo;</li> <li>Assumimos a responsabilidade pela entrega de documentos verídicos;</li> <li>Autorizamos a publicação do referido artigo no periódico Comunicação em Ciências da Saúde, segundo critérios próprios e em número e volume a serem definidos pelo editor do periódico;</li> <li>Nos comprometemos a atender os prazos estipulados pelos editores do periódico Comunicação em Ciências da saúde;</li> <li>Estamos cientes de que a não manifestação no prazo de dois dias da revisão da diagramação, recebida por e-mail, será considerado aprovado para publicação.</li> </ul> revistaccs@escs.edu.br (Revista Comunicação em Ciências da Saúde) revistaccs.escs@gmail.com (Secretaria Executiva) Fri, 02 Sep 2022 00:00:00 +0000 OJS 3.3.0.13 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Planejamento das disciplinas pelo docente fisioterapeuta de uma instituição pública do estado de Goiás, Brasil https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1013 <p><strong>Objetivo:</strong> avaliar o planejamento das disciplinas dos docentes fisioterapeutas de uma instituição pública do estado de Goiás, Brasil. <strong>Métodos:</strong> estudo transversal, descritivo, exploratório quantitativo. Os dados foram coletados por meio de questionário semiestruturado e enviado por e-mail. <strong>Resultados</strong>: a amostra foi de 23 participantes. Os docentes possuem autonomia e planejam as disciplinas que lecionam. Existe interdisciplinaridade e a carga horária na visão dos professores é adequada. Os métodos de ensino, recursos didáticos e instrumentos de avaliação variam entre clássicos e tecnológicos, teóricos e práticos. Os professores relatam conhecimento do Projeto Político Pedagógico. <strong>Conclusão:</strong> O perfil geral da atuação dos docentes indica que eles são os responsáveis pelo planejamento de sua disciplina e que o programa planejado é descentralizado, ou seja, variável e adaptado pelo docente a cada uma de suas turmas.</p> Luiz Henrique Leite Silva, Jessé Castelo Souza Santana, Clarice Fernandes Pimentel, Heliny Alves dos Santos, Hygor Willian de Oliveira, Tássio Moreira Peres, Franassis Barbosa de Oliveira Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1013 Fri, 03 Feb 2023 00:00:00 +0000 Satisfação e autonomia docente em instituição de ensino superior em enfermagem https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/930 <p><strong>Objetivo</strong>: analisar o grau de satisfação dos docentes de graduação em enfermagem de instituição pública, correlacionando autonomia e satisfação profissional. <strong>Método</strong>: estudo descritivo, transversal, quantitativo, cujos dados passaram por estatística descritiva e testes paramétricos. <strong>Resultados</strong>: participaram 77 docentes que demonstraram moderada satisfação global e maior satisfação no relacionamento com os alunos. Não houve relação estatística entre satisfação e as variáveis do estudo, mas a correlação entre autonomia e satisfação foi significativa. <strong>Conclusão</strong>: o estudo apontou que a maior satisfação dos docentes está ligada aos fatores intrínsecos ao trabalho. A autonomia docente correlacionou-se positivamente à satisfação no trabalho, sendo apontada como uma influência para a satisfação dos docentes. A potencialização da autonomia pode contribuir sobremaneira para a satisfação no trabalho.</p> Kátia Rodrigues Menezes, Maria Rita Carvalho Garbi Novaes Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/930 Tue, 25 Oct 2022 00:00:00 +0000 Perdas dentárias e fatores associados em população idosa negra https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1268 <p><strong>Introdução:</strong> há evidências de que os negros apresentam uma saúde bucal precária em relação a outros grupos raciais, mas pouco se sabe sobre fatores contextuais, sociais, individuais e de saúde bucal envolvidos<strong>.</strong> <strong>Objetivo:</strong> apresentar um protocolo para elaboração de revisão de escopo sobre os fatores associados às perdas dentárias na população idosa negra.<strong> Métodos:</strong> estratégia de busca em três etapas. Pesquisa no MEDLINE (PubMed), LILACS, SciELO, Scopus e Google Scholar, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. Estudos em inglês, espanhol e português serão incluídos. Dados extraídos serão apresentados em forma de fluxograma, gráficos e tabelas com informações sobre população, conceito, contexto e resultados ou descobertas relevantes para a pergunta da revisão. Critérios de inclusão: estudos com pacientes idosos, 60 anos ou mais, de ambos os sexos, e raça negra, preto-parda ou afro-americana como subgrupo étnico/racial. Serão considerados estudos quantitativos e qualitativos, teses, textos, relatórios e estudos sem limite de data.</p> Lairds Rodrigues Santos, Cláudia Maria Coelho Alves Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1268 Fri, 02 Sep 2022 00:00:00 +0000 Análise de partogramas preenchidos pela enfermagem obstétrica de uma Casa de Parto https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1236 <p><strong>Introdução:</strong> o partograma é um instrumento de representação gráfica utilizado na avaliação da progressão do trabalho de parto.<strong> Objetivo: </strong>analisar o preenchimento do partograma eletrônico realizado pelos enfermeiros obstetras e residentes em obstetrícia de uma Casa de Parto do Distrito Federal. <strong>Método: </strong>estudo transversal descritivo e exploratório com abordagem quantitativa. As informações para análise foram obtidas através dos prontuários eletrônicos de parturientes que deram entrada em trabalho de parto ativo. <strong>Resultados: </strong>dos 278 partogramas analisados, 94,96% apresentaram erros de preenchimento. Apenas 5,04% foram preenchidos completamente, sem erro. <strong>Discussão:</strong> Os principais erros de preenchimento foram formados pela falta de entendimento dos parâmetros. O instrumento mostrou-se adequado para a monitorização do trabalho de parto, quando bem utilizado. <strong>Considerações Finais: </strong>Foi possível evidenciar falhas de seguimento dos parâmetros no preenchimento e continuidade do partograma. A realização de treinamentos e atividades de educação continuada poderá tornar a prática mais segura na assistência ao parto.</p> Elora Dana Conceição dos Santos, Amanda Fedevjcyk de Vico, Hygor Alessandro Firme Elias Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1236 Tue, 07 Feb 2023 00:00:00 +0000 Uso de prescrição pictográfica e outras intervenções farmacêuticas em hospital pediátrico https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1122 <p><strong>Introdução</strong>: A baixa escolaridade pode estar associada ao uso inadequado de medicamentos, requerendo o uso de alternativas para facilitar a interpretação das prescrições. <strong>Objetivo:</strong> discutir a experiência do uso de prescrição pictográfica com os responsáveis por pacientes pediátricos, durante internação hospitalar. <strong>Método</strong>: a elaboração da prescrição foi apoiada por entrevista com a cuidadora para identificar estratégias que a auxiliassem no entendimento do uso correto dos medicamentos. O uso de cores e pictogramas foi utilizado para a elaboração da prescrição. <strong>Resultados:</strong> durante o acompanhamento, foram observados resultados positivos que poderiam impactar na adesão da farmacoterapia não confirmados devido à suspensão dos medicamentos. <strong>Conclusão:</strong> no Brasil há um número pequeno de publicações a respeito do uso de pictogramas o que demonstra a necessidade de publicar mais artigos sobre o tema e o impacto acarretado na saúde das crianças e no Sistema Único de Saúde se houvesse aumento da adesão aos tratamentos.</p> Sarah Kelly Souza de Carvalho Faria, Alcidésio de Sales Souza Júnior Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1122 Fri, 02 Sep 2022 00:00:00 +0000 Perfil de sensibilidade de bactérias isoladas em amostras de culturas em um hospital terciário https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/936 <p><strong>Introdução:</strong> o aumento da resistência antimicrobiana é considerado um preocupante problema de saúde, sendo observado nos últimos anos um aumento significativo da circulação de cepas com perfil de multirresistência. <strong>Objetivo:</strong> compreender o perfil de sensibilidade das bactérias identificadas pelo setor de microbiologia, no sentido de contribuir para a tomada de decisões preventivas e terapêuticas no manejo das IRAS. <strong>Métodos:</strong> foi desenvolvido um estudo observacional, transversal, com dados do setor de microbiologia, referente ao período de janeiro a dezembro de 2019. <strong>Resultados:</strong> foram selecionadas 13.800 amostras coletadas, predominantemente, de pacientes internados. Foram incluídas um total de amostras de 9.029 bactérias, divididas em 3.076 gram-positivas e 5.953 gram-negativas. <strong>Conclusão:</strong> as bactérias mais frequentes na instituição foram <em>Klebsiella </em>spp., <em>Escherichia coli</em>, <em>Pseudomonas </em>spp.<em>,</em> <em>Acinetobacter</em> spp., <em>Enterobacter </em>spp. e<em> Proteus mirabilis</em> entre as Gram-negativas e <em>Staphylococcus </em>coagulase negativo (SCN), <em>Staphylococcus aureus</em> e <em>Enterococcus faecalis</em> entre as gram-positivas.</p> Laura Pessoa Londe de Oliveira, Rodrigo de Freitas Garbero Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/936 Fri, 02 Sep 2022 00:00:00 +0000 Alterações no comportamento alimentar durante o período de isolamento social na pandemia por COVID-19 https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1048 <p><strong>Introdução:</strong> desde a deflagração da pandemia de COVID-19 em 2020, parte da população brasileira passou por isolamento social, com cuidados para mitigar os efeitos do vírus. A fome emocional, desencadeada por situações de depressão, ansiedade, estresse, no qual a comida é vista como uma compensação. <strong>Objetivos:</strong> analisar as alterações no comportamento alimentar durante o período de isolamento social <strong>Método:</strong> aplicado formulário on-line veiculado nas mídias sociais tendo como público-alvo a população adulta.<strong> Resultados: </strong>Participaram da pesquisa 420 pessoas, 90% do sexo feminino, 91.7% estavam em isolamento com a família/amigos, 77,8% expuseram mudanças na alimentação, 53,8% afirmaram que estavam ingerindo mais alimentos. Entre aqueles que sentiam-se bem na quarentena, 93,9% relataram que tiveram mudanças em relação à alimentação, 65,2% consumiram maior quantidade de alimentos, 62,8% encontravam consolo na comida e 61% sentiam fome frequentemente (p&lt;0,05). <strong>Conclusão:</strong> Houve alteração no comportamento e hábito alimentar dos participantes durante o período de isolamento social.</p> Tamiris Andressa Leite, Milena Morelli de Oliveira, Elis Regina Ramos, Caryna Eurich Mazur, Vania Schmitt Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1048 Fri, 02 Sep 2022 00:00:00 +0000 Análise comparativa das diferentes ferramentas de triagem nutricional utilizadas em pacientes oncológicos https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1187 <p><strong>Introdução:</strong> A triagem nutricional é o ponto de partida para se avaliar o estado nutricional. Visando contribuir para tornar o processo de escolha das triagens mais assertivo, o objetivo desde estudo foi realizar uma análise comparativa das diferentes ferramentas utilizadas em pacientes oncológicos. <strong>Metodologia:</strong> Trata-se de uma revisão sobre artigos cujas amostras utilizaram pacientes oncológicos e analisaram desfechos da aplicação de triagens. Sendo selecionados doze estudos. A análise dos artigos se deu principalmente quanto à análise das ferramentas em comparação com uma referência. <strong>Conclusão:</strong> Foram avaliadas doze ferramentas, sendo as mais utilizadas a NRS 2002 e PG-SGA. Quanto aos desfechos, a MST e NRS 2002 se sobressaíram. Segundo a sensibilidade e especificidade a PG-SGA apresentou melhores resultados. Sugere-se que novos estudos sejam realizados em diferentes contextos e populações oncológicas. Aconselha-se que seja considerado particularidades do ambiente em que a ferramenta será utilizada para a escolha.</p> Bruna Paula de Assis Evangelista, Leticia Crestan Toneto, Carla Andressa Martins Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1187 Fri, 02 Sep 2022 00:00:00 +0000 Prática interprofissional em saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1241 <p><strong>Objetivo: </strong>Analisar o conhecimento dos profissionais de saúde sobre a prática interprofissional em dois serviços especializados – Centro Especializado em Reabilitação Física e Intelectual e no Serviço de Atenção à Saúde Auditiva, serviços oferecidos pelo SUS. <strong>Método</strong>: pesquisa qualitativa exploratória e descritiva. Dados coletados através entrevista semiestruturada com 16 profissionais, gravadas e transcritas. Os relatos foram analisados por meio de análise temática ajustada. <strong>Resultados:</strong> nos relatos dos profissionais de saúde foi possível observar que a sobrecarga de trabalho, e os interesses dos usuários tem implicado nas práticas interprofissionais, e que, apesar de esforços recentes para implementação da educação interprofissional na graduação em saúde, isso ainda não está acontecendo efetivamente. Os profissionais de saúde apresentam o conhecimento teórico conforme as suas falas, porém este não é aplicado no dia a dia. <strong>Conclusão</strong>: é importante repensar o processo de trabalho em saúde, e a formação em saúde tendo como base a construção de práticas interprofissionais colaborativas.</p> Graziela Liebel, Camila Tavares, Débora Frizzo Pagnossin, Rafael Silva Fontenelle, Rita de Cássia Gabrielli Souza Lima Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1241 Tue, 07 Feb 2023 00:00:00 +0000 Fatores sociodemográficos, sintomas e comorbidades associados à COVID-19 em município do Sul do Brasil https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1259 <p><strong>Introdução: </strong>pandemia de COVID-19 evidenciou a Vigilância Epidemiológica como recurso essencial no acompanhamento temporal de indicadores de saúde. <strong>Objetivo: </strong>identificar fatores sociodemográficos e sintomatológicos associados à infecção por COVID-19 e verificar diferenças temporais nos casos de um município do Sul do Brasil.<strong> Métodos: </strong>trata-se de levantamento epidemiológico, com análise de dados secundários obtidos pela ficha de notificação da Vigilância Epidemiológica do município. Incluíram-se sujeitos notificados por suspeita de COVID-19 no período de 12 meses. <strong>Resultados: </strong>37,9% tiveram resultado positivo para COVID-19. Características sociodemográficas foram semelhantes entre sujeitos positivos e negativos para COVID-19 e 27,3% relataram ter ao menos uma comorbidade prévia, sem apresentar diferença no diagnóstico da infecção. Percebeu-se associação de infecção ao sintoma de anosmia e ageusia. Verificaram-se diferenças de distribuição nas três ondas epidemiológicas.<strong> Conclusões:</strong> infecção por COVID-19 no município foi homogênea na população, sem grupo socioeconômico com maior potencial de positividade, com sintomas amplos da infecção.</p> Laura Rodolpho Petry, Carla Ferreira Gomes, Mariana Hellwig Valério, Kelly El Ammar Camera, Marcela Nedel, Isabela Slomp Bettoni, Lincon Camargo, Vanessa Backes, Juliana Nichterwitz Scherer Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1259 Tue, 25 Oct 2022 00:00:00 +0000 Princípios de comunicação em Odontogeriatria https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1193 <p>Comunicação em odontologia pode ser negligenciada, dada dificuldade da obtenção de um canal paciente-profissional eficaz. <strong>Objetivo</strong>: Investigar práticas de comunicação no cuidado odontológico ao idoso. <strong>Metodologia</strong>: Realizada revisão de escopo, buscando trabalhos indexados nas principais bases e portais de dados em saúde, considerando estudos em qualquer idioma ou ano de publicação. Avaliação do risco de viés foi realizada pelo ‘CASP Checklist para estudos qualitativos’. <strong>Resultados: </strong>3.257 estudos foram investigados, 12 corresponderam aos critérios estabelecidos. Dois estudos apresentaram metodologia observacional participativa e os demais via entrevistas, 42% da amostra abordou somente a comunicação verbal (audível) e 2 mencionaram a prática à distância. A avaliação do risco de viés apontou dez estudos de nível A e dois de nível B. As práticas de teleatendimento ou questionários apresentam-se como aplicações da comunicação em odontogeriatria. <strong>Conclusões:</strong> Sugerem-se princípios comunicativos com o idoso através de interprofissionalidade e atenção, que devem ser exploradas e consolidadas.</p> Gabriel Schmitt da Cruz, Eduardo Trota Chaves, Otávio Pereira D’Ávilla, Eduardo Dickie de Castilhos Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1193 Tue, 07 Feb 2023 00:00:00 +0000 Resenha do Caderno de Orientações do Agente Popular de Saúde para o enfrentamento da Covid-19 https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1069 <p>.</p> Ewelin Wasner Machado da Silva , Tiago de Oliveira Furlam , Claudia Cristina de Aguiar Pereira, Carla Jorge Machado Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1069 Fri, 02 Sep 2022 00:00:00 +0000 Riscos intrínsecos e extrínsecos para quedas em idosos residentes em área rural https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1145 <p><strong>Objetivo:</strong> identificar os fatores intrínsecos e extrínsecos para quedas em idosos residentes em área rural. <strong>Método:</strong> Estudo transversal, descritivo realizado com idosos residentes em área rural do município de Arabutã – SC. Os dados foram obtidos por meio de entrevista e observação nas residências dos idosos no mês de julho de 2020. <strong>Resultados:</strong> Participaram do estudo 56 idosos, 58,9% do sexo feminino, a idade variou de 60 à 87 anos, 69,55 (± 6,75) anos. A presença de fatores extrínsecos variou de dois a dez por residência, com maior prevalência o vaso sanitário baixo (94,6%); cadeiras sem braços (83,9%); inexistência de barras de apoio no vaso e chuveiro (76,8%); tapetes e capachos (60,7%); objetos estocados em lugares altos (53,6%). <strong>Conclusões:</strong> Os fatores de riscos extrínsecos de quedas observados nesse estudo podem ser modificados a fim de se estabelecer um ambiente seguro para o idoso, sem grandes gastos ou mudanças radicais.</p> Rafaela Dinorá Grosser, Luciano Fiorentin, Mágda Letícia Pedroso Pereira, Sirlei Favero Cetolin, Vilma Beltrame Copyright (c) 2022 Comunicação em Ciências da Saúde https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1145 Fri, 02 Sep 2022 00:00:00 +0000