Unidade de Terapia Intensiva adulto: processo de regulação de leitos públicos no Distrito Federal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51723/ccs.v33i02.976

Palavras-chave:

Perfil Epidemiológico, Sistema Único de Saúde, Unidade de Terapia Intensiva, Leito hospitalar, Estado crítico

Resumo

Objetivo: descrever o processo de regulação de leitos em Unidade de Terapia Intensiva Adulto no Sistema Único de Saúde no Distrito Federal. Método: pesquisa descritiva, transversal e retrospectiva com abordagem quantitativa. Amostra não probabilística de adultos em estado crítico/grave. Dados retrospectivos coletados do prontuário de usuários que entraram em lista de espera por leitos, entre 1º e 31 de dezembro de 2016. Resultados: 562 prontuários analisados, 55,7% do sexo masculino; faixa etária de 19 a 96 anos; 55,5% dos pacientes com prioridade 1 e 2; prevalência de doenças cardíacas (20,9%); após regulação 47,8% conseguiram vaga; tempo de permanência na fila de 0 a 26 dias. Conclusão: demonstrou-se a trajetória seguida pelo usuário da entrada na fila de espera por leito ao desfecho final. A adequada distribuição dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (frente à demanda), considerados os critérios clínicos estabelecidos, vem fortalecer o processo regulatório.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederico Caetano Moura, Escola Superior de Ciências da Saúde -ESCS

Médico, residência em andamento em cirurgia geral pela Escola Superior de Ciências da Saúde da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - ESCS/SES-DF. Brasília, Brasil

José Roberto de Deus Macedo, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - SESDF

Médico, Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília - UnB. Atua na SES-DF e no IGES-DF. Brasília, Brasil

Alex Caetano Santos, Hospital de Acidentados de Goiânia

Médico, Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Goiás - UFG. Cirurgião geral no Hospital de Acidentados. Goiânia, Brasil

Ana Socorro Moura, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - SESDF

Enfermeira. Mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília . Enfermeira da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal e docente da Escola Técnica de Saúde de Brasília. 

Lara Mabelle Milfont Boeckmann, Universidade de Brasília - UnB

Enfermeira, Doutora em Enfermagem pela Universidade de Brasília - UnB. Professora Adjunta da curso de graduação em enfermagem da UnB. Brasília, Brasil.

Geisa Sant'Ana, Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde - Fepecs

Enfermeira, Doutora em Ciências da Saúde - UnB. FEPECS/SES-DF. Brasília, Brasil

Referências

Brasil. Portaria/GM/MS nº 1.559, de 1º de agosto de 2008. Institui a Política Nacional de Regulação do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Ministério da Saúde; 2008 [acesso em 10 abr 2021]. Disponível em: https://www.diariodasleis.com.br/busca/exibelink.php?numlink=1-92-29-2008-08-01-1559.

Batista SR, Vilarins GCM, Lima MG, Silveira TB. O Complexo Regulador em Saúde do Distrito Federal, Brasil, e o desafio da integração entre os níveis assistenciais. Ciênc. saúde coletiva. 2019 [acesso em 10 abr 2021]; 24(6):2043-2052. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018246.08132019

Distrito Federal. Secretaria de Estado de Saúde. Portaria/GAB/SES nº 41, de 30 de agosto de 2006. Central de Regulação de Internação Hospitalar da SES/DF – CRIH. Brasília: SES/DF, 2006 [acesso em 10 abr 2021].

Disponível em: http://www.sinj.df.gov.br/sinj/Norma/53496/Portaria_41_30_08_2006.html Acesso em:13/07/2021.

Distrito Federal. Secretaria de Estado de Saúde. Portaria/GAB/SES nº 42, de 31 de agosto de 2006. Diretrizes e critérios de priorização para UTI da SES/DF – CRIH. Brasília: SES/DF, 2006 [acesso em 10 abr 2021]. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/agosto/PROTOCOLO%20LEITO%20DE%20UTI%20-%20DF.pdf

Lima DH, Vargas ER. Regulação de acesso à internação em UTI: análise pela teoria da Inovação em serviços. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde 2014; 11(3):174-189. Disponível em:

https://doi.org/10.21450/rahis.v11i3.2098

Brasil. Portaria/ SVS/MS nº 466, de 04 de junho de 1998.– Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância Sanitária. Regulamento técnico para o funcionamento dos serviços de tratamento intensivo. Brasília: Ministério da Saúde; 1998 [acesso em 10 abr 2021]. Disponível em: http://www.szpilman.com/CTI/protocolos/Legisla%C3%A7%C3%A3o_UTI_completa_junho%20de%201998.htm

Governo do Distrito Federal (GDF). Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal. SES-DF. Portaria nº 200, de 06 de agosto de 2015. Brasília: SES-DF; 2015 [acesso em 08 abr 2021]. Disponível em: https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/images/agencia_brasilia/DODF-7-8-2015-SAUDE.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência. Manual de implantação e implementação: núcleo interno de regulação para Hospitais Gerais e Especializados [recurso eletrônico]. Brasília: Ministério da Saúde; 2017.

Governo do Distrito Federal (GDF). SES-DF. Portaria nº 199, de 06 de agosto de 2015. Atualiza as disposições da Portaria SES-DF nº 41, de 30 de agosto de 2006 e dá outras providências [acesso em 05 abr 2021]. Disponível em: https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/images/agencia_brasilia/DODF-7-8-2015-SAUDE.pdf

Goldwasser RS, Lobo MSC, Arruda EF, Angelo SA, Ribeiro ECO, Silva JRL. Planejamento e compreensão da rede de terapia intensiva no Estado do Rio de Janeiro: um problema social complexo. Rev Bras Ter Intensiva. 2018; 30(3):347-357. Disponível em: https://doi.org/10.5935/0103-507X.20180053

Organização Mundial da Saúde. CID-10 Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. 10a rev. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2008.

Governo do Distrito Federal (GDF). Decreto nº 38.982, de 10 de abril de 2018. Altera a estrutura administrativa da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal e dá outras providências [acesso em 05 abr 2021]. Disponível em: http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/04/Decreto-n.%C2%BA-38.982-2018-Altera-a-estrutura-adminsitrativa-da-SES-DF.pdf

Pauletti M, Otaviano MLPO, Moraes AST, Schneider DS. Perfil epidemiológico dos pacientes internados em um Centro de Terapia Intensiva. Aletheia 2017; 50(1-2):38-46.

Vieira MS. Perfil geográfico e clínico de pacientes admitidos na UTI através da Central de Regulação de Internações Hospitalares. Com. Ciências Saúde. 2011; 22(3):201-210.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2015 [acesso em 05 abr 2021]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2015/default.shtm

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução nº 553, de 09 de agosto de 2017. Carta dos direitos dos usuários da saúde. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2007. (Série F. Comunicação e Educação em Saúde).

AMIB. Associação de Medicina Intensiva Brasileira. Censo 2016/2017. Mapeamento de UTI no Brasil. 2017 [acesso em 05 abr 2021]. Disponível em: http://www.amib.com.br/pdf/Analise_de_Dados_v4_1.20.1095_AMIB_Atualizado_by_AM_24Fev17_TemplateAMIB.pdf.

Carvalho ACB, Souza ICC, Fernandes JPC, Melo R, Silva Neto JMD, Queiroz JC, Oliveira CJL, Vieira A. Perfil dos pacientes admitidos em UTI por agravos neurológicos. Research, Society and Development 2020; 9(7):1-19, e210974100 (CC BY 4.0). Disponível em: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4100

Nascimento MSM, Nunes EM, Medeiros RC, Sousa Filho LF, Alves ESRC. Perfil epidemiológico de pacientes em Unidade de Terapia intensiva adulto de um hospital regional paraibano. Temas em saúde. 2018 [acesso em 17 mar 2021]; 18:247-265. Disponível em: https://temasemsaude.com/wp-content/uploads/2018/04/18113.pdf

Pires MRGM, Gottens LBD, Martins CMF, Guilhem D, Alves ED. Oferta e demanda por média complexidade/SUS: relação com atenção básica. Ciência & Saúde Coletiva [online] 2010; 15(suppl.1):1009-1019.

Santos AC, Vargas MAO, Schneider N. Encaminhamento do paciente crítico para UTI por decisão judicial: situações vivenciadas pelos enfermeiros. Enferm. foco 2010; 1(3):94-97.

Brasil. Da saúde. In: Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988 (Título 5, cap. 2, seção 2). 32. ed. São Paulo: Saraiva; 2003.

Brasil. Ministério da Saúde. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da Saúde. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 20 set. 1990.

Otto GLG, et al. Análise de óbitos na lista de espera da central de regulação de leitos de uti na macrorregião de Maringá-Pr. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer – Goiânia, 2013; 9(17) [acesso em 08 abr 2021]. Disponível em: http://www.conhecer.org.br/enciclop/2013b/CIENCIAS%20DA%20SAUDE/ANALISE%20DE%20OBITOS.pdf

Downloads

Publicado

08.07.2022

Como Citar

1.
Moura FC, Macedo JR de D, Santos AC, Moura AS, Boeckmann LMM, Sant’Ana G. Unidade de Terapia Intensiva adulto: processo de regulação de leitos públicos no Distrito Federal. Com. Ciências Saúde [Internet]. 8º de julho de 2022 [citado 22º de fevereiro de 2024];33(02). Disponível em: https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/976

Edição

Seção

Clínica Assistencial

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)