Estratégias de aprendizagem: o uso de metodologias ativas na formação e na qualificação de preceptores.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51723/ccs.v34i02.1512

Palavras-chave:

Ensino, Preceptoria, Educação Baseada em Competências

Resumo

Objetivo: Narrar a experiência sobre o uso de metodologias ativas na formação e na qualificação de preceptores do Programa de Residência em Enfermagem de Família e Comunidade. Método: Trata-se de um relato de experiência do projeto de qualificação. Foram realizadas onze qualificações, divididas em três módulos: aprimoramento das habilidades de preceptoria; treinamentos direcionados para a prática clínica e eventos científicos visando a formação crítica e complementar, todos desenvolvidos a partir do uso de metodologias ativas. O estudo contou com a participação de 100 enfermeiros preceptores no período de outubro de 2021 a março de 2023. Conclusão: Esta experiência demonstrou a importância em considerar o pressuposto da Educação Permanente para a qualificação do SUS. O uso  das metodologias ativas na formação, ofereceu aos preceptores as habilidades e conhecimentos necessários para criar um ambiente de aprendizagem mais interativo e participativo nos serviços de saúde, bem como nas relações didáticas com os residentes em formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jacqueline Oliveira de Carvalho, Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro

Mestre em Saúde Pública ENSP/Fiocruz. Enfermeira especialista em Gestão em Saúde IMS/UERJ. Programa de Residência em Enfermagem de Família e Comunidade da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro PREFC/SMSRio. Rio de Janeiro, Brasil.

Letícia Vieira Lourenço, Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro

Mestre em Atenção Primária à Saúde. Enfermeira especialista em Saúde da Família e Comunidade. Programa de Residência em Enfermagem de Família e Comunidade da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro PREFC/SMSRio. Rio de Janeiro, Brasil.

Michelle Adrianne da Costa de Jesus, Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro

Enfermeira especialista em Saúde da Família e Comunidade. Programa de Residência em Enfermagem de Família e Comunidade da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro PREFC/SMSRio. Rio de Janeiro, Brasil.

Carla Pacheco Teixeira, Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz Rio de Janeiro

Doutora em Saúde Coletiva IMS/UERJ. Assistente Social/Sanitarista. Coordenadora Acadêmica Adjunta Nacional do Mestrado Profissional em Saúde da Família (PROFSAÚDE). Fundação Oswaldo Cruz.

Referências

Brasil. Lei 8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l00.htm

Brasil. Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – ProJovem; cria o Conselho Nacional da Juventude – CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude; altera as Leis n°s 10.63, de 2 de maio de 2003, e 10.429, de 24 de abril de 2002; e dá outras providências. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11129.htm

Brasil. Portaria GM/MS n° 1.59, de 15 de julho de 2021. Altera a Portaria de Consolidação GM/MS nº 5, de 2 de setembro de 2017, para instituir o Plano Nacional de Fortalecimento das Residências em Saúde, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2021/prt159_16_07_2021.html

De Paula GB. Toassi RFC. Papel e atribuições do preceptor na formação dos profissionais da saúde em cenários de aprendizagem do Sistema Único de Saúde. Saberes Plurais Educ. Saúde [Internet]. 2021;5;(2):125-142. Disponível em: https://doi.org/10.54909/sp.v5i2.117940.

Brasil. Portaria n° 1996, de 20 de agosto de 2007. Dispõe sobre as diretrizes para a implementação da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2007/prt1996_20_0_2007.html

Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Programa de residência em enfermagem de família e comunidade: manual do residente / [elaboração Edineia Lazzari et al.]; coordenação Jacqueline Oliveira de Carvalho]. 1. ed. Rio de Janeiro, 2022.

Freire P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006: 76p. Disponível em: https://nepegeo.paginas.ufsc.br/files/2018/11/Pedagogia-da-Autonomia-Paulo-Freire.pdf

Egeslaine DE, Santos CA. Reflexões sobre a metodologia das aulas expositivas na educação básica e superior. Revista de Educação do Vale do Arinos-RELVA: 2017; 4(1). Disponível em: https://periodicos2.unemat.br/index.php/relva/article/view/2255

Laurentino SVM. A dramatização no estágio supervisionado: o role playing auxiliando na formação dos professores de ciências e biologia–reflexões e contribuições. Revista EDaPECI. 2015;15(1):101. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/3506

Faria BCD, Amaral CG. O uso de metodologias ativas de ensino-aprendizagem em pediatria: uma revisão narrativa. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro. 2021; 45(2).

Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S191-52712021000200301&lng=pt&nrm=iso

Oliveira HT. Brainstorm: tempestade de ideias na alfabetização. Educação e Cultura em Debate. 2020;6(1):1-21. Disponível em: https://revistas.unifan.edu.br/index.php/RevistaISE/article/view/436

Oliveira NAA, Mattar J. Folhetim Lorenianas: aprendizagem baseada em projetos, pesquisa e inovação responsáveis na educação. Revista e-Curriculum, 2018;16(2):341-363. Disponível em: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2018v16i2p341-363

Souza D, Vergottini V, Bernini DSD. Educação dos tempos modernos através da aprendizagem colaborativa: uma abordagem sobre EDUSCRUM. Anais do XXIX Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE 201) [Internet]; 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5753/cbie.sbie.2018.51

Scheneiders LA. O método da sala de aula invertida (flipped classroom) Lajeado: Ed. da Univates, 201. 19 p.; il. color. Disponível em: https://www.univates.br/editora-univates/media/publicacoes/256/pdf_256.pdf

Fernandes M. 5 exemplos de metodologias ativas que todo professor precisa conhecer. [Internet] Rio Grande do Sul: 2022. Disponível em: https://ead.ucs.br/blog/exemplos-de-metodologias-ativas

Alves NP, Gomes TG, Lopes MMCO, Gubert FA, Lima MA, Beserra EP et al. Simulação realística e seus atributos para a formação do enfermeiro. Rev. enferm. Pernambuco. 2019; 13(5):1420-142. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1024530

Campos, TA Costa F, Lima IF, Azevedo S, Cavalheiro JA, Alban LL, Faruch SB. Atividades práticas supervisionadas em centros de atenção psicossociais: relato de experiência. Scientific Electronic Archives. 2023; 16(1). Disponível em: https://doi.org/10.36560/16120231652

Maciel PS. O debate como metodologia ativa de ensino para disciplina mecânica dos solos: estudo de caso. Paraíba: Instituto Federal de educação, ciência e tecnologia e da Paraíba; 2022;12. Disponível em: https://repositorio.ifpb.edu.br/handle/17763/2541

Mussi RFF, Flores FF, Almeida CB. Pressupostos para a elaboração de relato de experiência como conhecimento científico. Revista práxis educacional. 2021; 17(48): 60-77. Disponível em: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i48.9010.

Como ensino híbrido e metodologias ativas se relacionam? [Internet]. Brasil: 2021. Disponível em: https://blog.saraivaeducacao.com.br/ensino-hibrido-e-metodologias-ativas/

Sampaio RC, Silva HAC. Tecnologia na educação: audiovisual como ferramenta de ensino. 2020. Disponível em: http://repositorio.ifap.edu.br/jspui/handle/prefix/325

Nascimento AKC, Baduy RS. Simulação, oficina e roda de conversa: estratégias de aprendizagem ativa na saúde. Revista Educação em Debate, Fortaleza, 2021; 43(4): 152-167. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/handle/riufc/5900.

Warschauer C. Rodas em rede. Oportunidades formativas na escola e fora dela. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017. Disponível em: https://midiasstoragesec.blob.core.windows.net/001/2021/10/registros-como-instrumentos-de-formao-e-de-criao.pdf

Ferreira RPN, Guedes HM, Oliveira DWD, Miranda JL de. Simulação realística como método de ensino no aprendizado de estudantes da área da saúde. R. Enferm. Cent. O. Min. [Internet]. 16º de julho de 201 [Acesso em 2023mar. 27]. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/recom/article/view/250

Alvim SGF, Rocha LAC. Organização de eventos: um diálogo sobre comunicação científica na saúde. Revista Acreditação: ACRED. 2014; 4():10-125. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5626609.

Publicado

22.11.2023

Como Citar

1.
Oliveira de Carvalho J, Vieira Lourenço L, da Costa de Jesus MA, Pacheco Teixeira C. Estratégias de aprendizagem: o uso de metodologias ativas na formação e na qualificação de preceptores. . Com. Ciências Saúde [Internet]. 22º de novembro de 2023 [citado 24º de junho de 2024];34(02). Disponível em: https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1512

Edição

Seção

Seção Temática - Mestrado ProfSaude

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)