A Experiência da Aprendizagem no Mestrado Profissional em Saúde da Família - PROFSAÚDE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51723/ccs.v34i02.1533

Palavras-chave:

Aprendizagem Baseada em Problemas, Educação a Distância, Capacitação Profissional, Estratégia Saúde da Família, Prática Docente

Resumo

Introdução: o Mestrado Profissional em Saúde da Família – PROFSAÚDE – é um programa de pós-graduação que promove formação para a docência e a preceptoria para o Sistema Único de Saúde, articulando educação a distância e momentos presenciais, com uma concepção pedagógica baseada em aprendizagem significativa, metodologias ativas e problematização. Objetivo: relatar a experiência docente-discente no processo de ensino-aprendizagem da quarta turma do programa, destacando potencialidades e desafios. Métodos: trata-se de estudo qualitativo, descritivo e exploratório, com o uso da Hermenêutica Dialética, de Minayo, e do Discurso do Sujeito Coletivo, de Lefevre & Lefevre, para a coleta de dados e a produção do manuscrito. Resultados: evidenciaram-se o caráter inovador do processo de ensino-aprendizagem, a transformação da atuação profissional na Estratégia Saúde da Família, a mudança na percepção dos processos de trabalho, a implicação na interação de saberes discente-docente-orientador e o estranhamento no uso de ferramentas digitais. Conclusão: o curso trouxe desafios e superações para docentes e discentes, em novas formas de aprender e ensinar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nádia Maria Guimarães Monteiro, Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz Rio de Janeiro

Mestranda em saúde da Família. Cirurgiã-dentista da Estratégia Saúde da Família, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil

Giselle Moura Cabral, Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz Rio de Janeiro

Mestranda em saúde da Família/Cirurgiã-dentista da Estratégia Saúde da Família, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil.

Hannah Costa de Carvalho, Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz Rio de Janeiro

Mestranda em saúde da Família/Enfermeira e gerente de serviços de saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil.

Gracia Maria de Miranda Gondim, Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz Rio de Janeiro

Pesquisadora em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz/RJ e regente de disciplina no PROFSAÚDE. Arquiteta, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil.

Referências

Teixeira CP, Gomes MQ.(Orgs.). PROFSAÚDE. Mestrado Profissional em Saúde da Família. Turma Multiprofissional: Manual do(a) mestrando(a). 2. ed. rev. atual. Rio de Janeiro: Fiocruz; Recife: UFPE; Porto Alegre: UFCSPA, 2022[acesso em 2023 abr 15]. Disponível em: https://profsaude-abrasco.fiocruz.br/manual-mestrando-profsaude-atualizado

Guilam MCR, Teixeira CP, Machado MFAS, Fassa AG, Fassa MEG. Mestrado Profissional em Saúde da Família (ProfSaúde): uma experiência de formação em rede. Interface (Botucatu)[Internet].2020[acesso em 2023 jan 10]; 24(Supl. 1):1-15. Disponívelem: https://www.scielo.br/j/icse/a/JHBXSLpx4Y9zzkfTvXtXXwx/?format=pdf&lang=pt

Ausubel DP . Educational psychology: a cognitive view. New York: Holt, Rinehart and Winston; 1968.

Ausubel DP. Aquisição e retenção de conhecimentos. Lisboa: Plátano Edições Técnicas; 2003.

Bordenave JD,Pereira AM. Estratégias de ensino-aprendizagem.4. ed. Petrópolis: Vozes, 1982.

Berbel NAN. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011.

MitreSMI, Siqueira-Batista R; Girardi-de-MendonçaJM,Morais-Pinto NM,Meirelles CAB, Pinto-Porto C, Moreira T, Hoffmann LMA. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, 2008.

Vygotsky LS, Luria AR, Leontiev AN. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo:Ícone; 1988.

Vygotsky LS. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 5.ed. São Paulo Brasil: Martins Fontes; 1996.

Piaget J. Aprendizagem e conhecimento. In: Piaget J, Gréco P. Aprendizagem e conhecimento. Rio de Janeiro: Freitas Bastos;1974.

Piaget J. O nascimento da inteligência na criança. Rio de Janeiro: Zahar Editores;1970.

Piaget J. A psicogênese dos conhecimentos. In: Piaget J. Epistemologia genética. São Paulo: Martins Fontes;1990.

Piaget J. Seis estudos de psicologia. Rio de Janeiro: Forense Universitária;2002.

Castro RF. As Teorias da Aprendizagem e a EaD. In: Aprendizagem e Trabalho Colaborativo na Educação a Distância. 2008. 123f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. (p. 50-58) Disponível em: http://guaiaca.ufpel.edu.br/bitstream/123456789/1716/1/Rafael_Fonseca_de_Castro_ Dissertacao.pdf

Case R. Mudanças nas visões do conhecimento e seu impacto sobre as pesquisas e a prática educacional. In: Olson DR., Torrance N (Orgs.) Educação e Desenvolvimento Humano. Porto Alegre: Artmed, p. 73-91; 2000.

Pelizzari A,Kriegl ML, Baron MP, Finck NTL, Dorocinski SI. Teoria da Aprendizagem Significativa segundo Ausubel. Rev. PEC [Internet]. jul. 2001 - jul. 2002 [acesso em 2023 fev 20]; 2(1); 37-42. Disponível em:http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/0000012381.pdf

Freire P. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1987.

Freire P. Pedagogia da Esperança. Um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1992.

Freire P. Pedagogia da Autonomia. 59. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra; 2019.

Lefevre F,Lefevre AMC. Discurso do sujeito coletivo: representações sociais e intervenções comunicativas. Texto & contexto enferm. [Internet].2014[acesso em 2023 mar 20]; 23(2): 502-7. Disponível em:https://doi.org/10.1590/0104-07072014000000014

Lefevre F, Lefevre AMC,Marques MCC. Discurso do sujeito coletivo, complexidade e auto-organização. Cien Saude Colet [Internet]. 2009 [acesso em 2023 mar 20]; 14(4):1193-1204. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/bLYcq4qWYBJnrfZzbVrZmJh/?format=pdf&lang=pt

Brecht B. Teatro dialético. Trad. Luiz Carlos Maciel. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira;1967.

Brecht B. Estudos sobre teatro. Trad. Fiama Pais Brandão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira;1978.

Teixeira GJW. Artigo Científico: orientações para sua elaboração. [Internet]. 2008 [acesso em 2023 fev 10]. Disponível em: http://www.serprofessoruniversitario.pro.br/ler.php?modulo=21&texto=1334

Grollmus NS,Tarrès, JP. Relatos Metodológicos: difractando experiência narrativa de investigación. Forum: QualitativeSocial Research [Internet]. 2015 [acesso em 2023 mar 10]; 16(2). Disponivel em:https://www.qualitative-research.net/index.php/fqs/article/view/2207/3810https://www.qualitative-research.net/index.php/fqs/article/view/2207/3810

Guba ES, Lincoln YS. Fourth generation evaluation. Newbury Park: Sage;1989.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 4. ed. São Paulo: Hucitec-Abrasco;1996.

Gondim GMM, Monken M, Rojas LI, Barcellos C, Peiter P, Navarro M, Gracie R. O Território da Saúde – a organização do sistema de saúde e a territorialização. In. Miranda AC, Barcellos C, Moreira JC, Monken M (Orgs.) Território, Ambiente e Saúde. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; 2008. p.237-255.

Gondim GMM. Os territórios da Atenção Básica: múltiplos, singulares ou inexistentes? Tese de Doutoramento no Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública. Fundação Oswaldo Cruz: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca;2011.

Ceccim RB. Pacientes Impacientes: Paulo Freire. In: Caderno de Educação Popular e Saúde. MINISTÉRIO DA SAÚDE - Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa / Departamento de Apoio à Gestão Participativa [Internet]. 2007 [acesso em 2023 abr 15]; p. 32-45. Disponível em:https://sites.uepg.br/let/wp-content/uploads/2017/04/Pacientes-impacientes-Paulo-Freire.pdf

Brasil. Presidência da República. Casa Civil.Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990.Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências [Internet]. Brasília, DF; 1990. p.18055-18059. [Acesso em 2023 mar 20]. Disponível em:https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm.

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde;2002. p. 207-227.

Costa AM. Integralidade na atenção e no cuidado a saúde. Saúde Soc. [Internet]. 2004 [acesso em 2023 mar 15];13(3): 5:15. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sausoc/a/tqyTrtBBBdLdYmLpXYnFX7d/?lang=pt&format=pdf

Franco TB,Merhy EE. Atenção domiciliar na saúde suplementar: dispositivo da reestruturação produtiva. Ciênc. Saúde Colet.2008; 13(5):1511-1520.

Ribeiro EM,Pires D,Blank VLG. A teorização sobre processo de trabalho em saúde como instrumental para análise do trabalho no Programa Saúde da Família. Cad. Saúde Pública. 2004, mar-abr; 20(2):438-446.

Gonçalves RBM. Tecnologia e Organização Social das Práticas de Saúde. São Paulo: Hucitec; 1994.

Mattos RA. Sentidos da Integralidade: algumas reflexões acerca de valores que merecem ser defendidos. p. 43-61. In: Pinheiro R, Mattos RA (Orgs.). Os Sentidos da Integralidade na Atenção e no Cuidado à Saúde. Rio de Janeiro, RJ: UERJ, IMS: ABRASCO;2006. 184p.

Neto ALGCA,Aquino JLF. Avaliação da aprendizagem como um ato amoroso: o que o professor pratica? Educação em Revista.2009 ago; 25(2): 223-240.

Cavalcante LPF, Mello MA. Avaliação da aprendizagem no ensino de graduação em Saúde: concepções, intencionalidades, reflexões. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior: Campinas; Sorocaba, SP. 2015 jul; 20(2):423-442.

Luckesi CC. Avaliação da Aprendizagem: componentes do ato pedagógico. 1. ed. São Paulo: Cortez;2011. p. 263-294.

Luckesi CC. Avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, n. 61, 1984.

Tancredi FB, Barrios SRL, Ferreira JHG. Fazendo um Diagnóstico da Situação de Saúde da População e dos Serviços de Saúde. In: Planejamento em Saúde. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, 1998. p. 19-26. (Coleção Saúde & Cidadania).

Matus C. Adeus senhor Presidente: governantes e governados. São Paulo:FUNDAP; 1997.

Parente JRF. Planejamento Participativo em Saúde. Sanare [Internet]. 2011 [acesso em 2023 fev 25]; 10(1): 54-61. Disponível em:https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/144/136

Cardoso JC. Elementos Construtores do Planejamento Participativo para as Equipes de Saúde da Família. In: SOUSA, M. F.; FRANCO, M. S.; MENDONÇA, A. V. M. Saúde da Família nos Municípios Brasileiros: os reflexos dos 20 anos no espelho do futuro. Campinas (SP): Ed. Saberes; 2014. p. 383-414.

Matus CO. Plano como Aposta. In: Giacomoni, J, Pagnussat, JL. Planejamento e orçamento governamental. Coletânea, v 1. Brasília: ENAP;2006.p.115-144.

Gadotti M. Perspectivas atuais da educação. Porto Alegre, Ed. Artes Médicas;2000.

Caldart S. Pedagogia do Movimento Sem Terra: escola é mais que escola. Petrópolis: Editora Vozes;2000.

Delors J. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo, Cortez;1998.

Fonseca J, Carvalho C, Conboy J, Salema H, Valente MO, Gama AP et al.Feedback na Prática Letiva: uma oficina de formação de professores. Rev. Port. de Educação [Internet]. 2015 [acesso em 2023 fev 16]; 28(1): 171-199. Disponível em:https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/7056

Morin E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez Editora;2011.

Morin E. Saberes globais e saberes locais: o olhar transdisciplinar. Rio de Janeiro: Garamond; 2000.

Habermas J. Teoria de la acción comunicativa I -Racionalidad de la acción y racionalización social Madri: Taurus;1987a.

Habermas J. Teoria de la acción comunicativa II - Crítica de la razón funcionalista Madri: Taurus;1987b.

Capra F. A teia da vida. São Paulo: Ed. Cultrix;1996.

Comitê Gestor da Internet (CGI). TIC Domicílios 2021: Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros [Internet]. 2022 [acesso em 2023 fev 18]. Disponível em: https://cetic.br/media/docs/publicacoes/2/20221121125504/tic_domicilios_2021_livro_eletronico.pdf

Publicado

22.11.2023

Como Citar

1.
Guimarães Monteiro NM, Moura Cabral G, Costa de Carvalho H, de Miranda Gondim GM. A Experiência da Aprendizagem no Mestrado Profissional em Saúde da Família - PROFSAÚDE. Com. Ciências Saúde [Internet]. 22º de novembro de 2023 [citado 21º de abril de 2024];34(02). Disponível em: https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1533

Edição

Seção

Seção Temática - Mestrado ProfSaude

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)