Anemia falciforme: avaliação da implementação de protocolo de assistência às crianças do pronto socorro da pediatria

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51723/ccs.v34i04.1398

Palavras-chave:

Avaliação em Saúde, Assistência à saúde, Avaliação da implantação, Doença falciforme, Anemia falciforme

Resumo

Objetivo: avaliar o grau de implantação do “Protocolo de Eventos Agudos em Doença Falciforme” na assistência às crianças de 0 a 16 anos, 11 meses e 29 dias com doença falciforme em Hospital Público, acometidas por intercorrências clínicas decorrentes da doença, atendido no Pronto Socorro (PS). Método: foram aplicados questionários para enfermeiros, médicos e técnicos de enfermagem. Resultados: com base nos dados coletados, criou-se uma Matriz de Análise e Julgamento, que permitiu concluir que, quanto a Estruturas e Processo, o protocolo está com grau de implementação 76,4% (implantado), a dimensão da Estrutura e Recursos com 78,0% (implantado) e no que se refere a Processos está com grau de implementação 74,8% (parcialmente implantado). Devido ao desconhecimento do protocolo, os procedimentos são realizados independente dele. Uma oportunidade de aperfeiçoamento é a disposição dos profissionais em serem capacitados. A dificuldade de comunicação da equipe da unidade, a falta de divulgação do protocolo e sua indisponibilidade na forma impressa são pontos fracos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ludmilla de Castro Oliveira Sicoli, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - SESDF

Enfermeira. Mestre em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/FIOCRUZ). Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal. Brasília - DF, Brasil.

Elizabeth Moreira dos Santos, Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz Rio de Janeiro

Professora Doutora da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/FIOCRUZ) . Rio de Janeiro – RJ, Brasil.

Juliana Fernandes Kabad, Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz Rio de Janeiro

 

ProfessoraDoutora da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/FIOCRUZ).  Rio de Janeiro – RJ, Brasil.

Referências

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Manual de diagnóstico e tratamento de doença falciforme [Internet]. Brasília: Anvisa, 2002 [acesso em 2023 Maio 15]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/anvisa/diagnostico.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Coordenação-Geral de Sangue e Hemoderivados; Universidade Federal de Santa Catarina. Doença Falciforme: conhecer para cuidar [Internet]. Brasília: MS, 2015 [acesso em 2023 Maios 15]. Disponível em: https://telelab.aids.gov.br/moodle/pluginfile.php/39506/mod_resource/content/4/Doenca%20Falciforme_SEM.pdf

Diniz D, Guedes C, Barbosa L, Tauil, PL, Magalhães, I. Prevalência do traço e da anemia falciforme em recém-nascidos do Distrito Federal, Brasil, 2004 a 2006. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2009 Dez [acesso em 2023 Maio 15];25(1):188-94. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/JWCHjvp93LBBrRwWWKwFWSj/?format=pdf&lang=pt#:~:text=Os%20dados%20identificaram%20uma%20preval%C3%AAncia,nascidos%20com%20o%20tra%C3%A7o%20falciforme.

Loureiro MM, Rozenfeld S. Epidemiologia de internações por doença falciforme no Brasil. Rev Saúde Pública [Internet]. 2005 [acesso em 2023 Maio 15];39(6):943-9. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rsp/2005.v39n6/943-949/.

Rodrigues C, Melo L, Araújo I. A família da criança com doença falciforme e a equipe enfermagem [revisão crítica]. Rev. Bras. Hematol. Hemoter [Internet]. 2010 [acesso em 2023 Maio 15];32(3):257-64. doi: 10.1590/S1516-84842010005000079

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual de Eventos Agudos em Doença Falciforme [Internet]. Brasília: MS, 2009 [acesso em 2023 Maio 15]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_eventos_agudos_doenca_falciforme.pdf

Cardoso GCP, Oliveira EA, Casanova AO, Toleto PPS, Santos EM. Participação dos atores na avaliação do Projeto QualiSUS-Rede: reflexoes sobre uma experiência de abordagem colaborativa. Saúde Debate [Internet]. 2019 Mar [acesso em 2023 Maio 15];43(120):56-65. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-1104201912004

Donabedian A. Basic approaches to assessment: structure, process and outcome. In: ______. Explorations in Quality Assessment and Monitoring. Ann Arbor,Michigan: Health Adiministration Press; 1980. Volume 1, The Definition of Quality and Approaches to its Assessment. p. 77-125 .

Donabedian A. The quality of care: how can it be assessed? JAMA [Internet]. 1988 Sep [cited 2023 Maio 15];260(12):1743-8. doi: 10.1001/jama.260.12.1743

Donabedian A. A continuity and change in the quest for quality. Clin Perform Qual Health Care [Internet]. 1993 Jan-Mar;1(1):9-16.

Vuori H. Estratégias para a melhoria da qualidade dos cuidados de saúde. In: Seminário de Avaliação dos Serviços de Saúde. Aspectos metodológicos estratégias para a melhoria da qualidade de dos cuidados de saúde; 1998; Rio de Janeiro, Brasil. Rio de Janeiro: Opas; Ensp; 1988. p. 17-25.

Gomes LMX. Avaliação da qualidade da assistência à criança com doença falciforme na Atenção Primária no Norte de Minas Gerais, Brasil. [Dissertação] [Internet]. Montes Claros: Universidade Estadual de Montes Claros; 2010 [acesso em 2023 Maio 15]. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraDownload.do?select_action=&co_obra=200100&co_midia=2

Gomes LMX, Vieira MM, Reis TC, Barbosa TLA, Caldeira AP. Knowledge of family health program practitioners in Brazil about sickle cell disease: a descriptive, cross-sectional study. BMC Fam Pract [Internet]. 2011 Aug [cited 2023 Maio 15];12-89. doi: 110.1186/1471-2296-12-89.

Cançado RD. Comprehensive healthcare for individuals with sickle cell disease: a constant challenge. Rev Bras Hematol Hemoter [Internet]. 2011 Dez [cited 2023 Maio 15];33(2):90-5. Available from: https://doi.org/10.5581/1516-8484.20110025

Braga JAP. Medidas gerais no tratamento das doenças falciformes. Rev. Bras. Hematol. Hemoter [Internet]. 2007 Set [acesso em 2023 Maio 15]; 29(3): 233-8. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-84842007000300009

Guedes SD, Marques, I. R. Intervenções de Enfermagem durante as crises álgicas em portadores de anemia falciforme. Rev. Bras. Enferm [Internet]. 2007 Jun [acesso em 2023 Maio 15];60(3):327-30. doi: 110.1186/1471-2296-12-89.

Fernandes APPC, Januário JN, Cangussu CB, Macedo DL, Viana MB. Mortality of children with sickle cell disease: a population study. J Pediatr [Internet]. 2010 Jul-Aug [cited 2023 Maio 15];86(4):279-84. doi: 10.2223/JPED.2005

Ubarana JA. Avaliação da Implantação do Sistema de Acompanhamento, Controle e Avaliação de Resultados (e-Car) na Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. Rio de Janeiro. [Dissertação] [Internet]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca; Fundação Oswaldo Cruz; 2017 [acesso em 2023 Maio 15]. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/27940#collapseExample

Bellucci Júnior JAB, Matsuda LM. Implantação do sistema de acolhimento com classificação e avaliação de risco e uso de fluxograma analisador [Relato de experiência de risco]. Texto & contexto enferm [Internet]. 2012 Jan-Mar [acesso em 2023 Maio 15]; 21(1): 217-25. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-07072012000100025

Krauzer IM, Dall'Agnoll CM, Gelbcke FL, Lorenzini E, Ferraz L. A construção de protocolos assistenciais no trabalho em enfermagem. REME Rev Min Enferm [Internet]. 2018 Jan-Mar [acesso em 2023 Maio 15];22:e-1087. DOI: 10.5935/1415-2762.20180017

Pimenta CAM, Pastana ICASS, Sichieri K, Solha RKT, Souza W. Guia para Construção de Protocolos Assistenciais de Enfermagem [Internet]. São Paulo: Coren-SP, 2015 [acesso em 2023 Maio 15]. Disponível em: https://portal.coren-sp.gov.br/sites/default/files/Protocolo-web.pdf

Publicado

22.05.2024

Como Citar

1.
Sicoli L de CO, Moreira dos Santos E, Kabad JF. Anemia falciforme: avaliação da implementação de protocolo de assistência às crianças do pronto socorro da pediatria. Com. Ciências Saúde [Internet]. 22º de maio de 2024 [citado 24º de junho de 2024];34(04). Disponível em: https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1398

Edição

Seção

Seção temática - Mestrado Profissional em Avaliação em Saúde

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)