Avaliação do cuidado sob a ótica da mulher na Estratégia Saúde da Família

Autores

  • Renata de Paula Almeida Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal
  • Raissa Maya de Santana dos Santos Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - SES-DF
  • Suderlan Sabino Leandro Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - SES-DF
  • Aline Mizusaki Imoto Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

DOI:

https://doi.org/10.51723/ccs.v30i04.414

Palavras-chave:

Saúde da mulher, Atenção Primária à Saúde, Integralidade em Saúde, Estratégia Saúde da Família

Resumo

Objetivos: Avaliar a percepção das mulheres sobre a integralidade no atendimento da Estratégia Saúde da Família. Métodos: estudo descritivo e transversal. Dados coletados de julho a agosto de 2017, por meio do PCATool. Considerou-se 6,6 como escore mínimo na avaliação da integralidade, desmembrado em dois componentes: Serviços Disponíveis (SD) e Serviços Prestados (SP). Resultados: entrevistadas 167 mulheres. O escore transformado em SD e SP foi de 6,68 ± 1,50 e 3,79 ± 2,21, respectivamente. Sobre os SD o serviço foi considerado satisfatório e em SP, não atendeu ao mínimo estabelecido. Conclusão: as mulheres demonstraram conhecimento das atividades ofertadas na unidade; a integralidade foi favorável em alguns atendimentos, mas no geral foi avaliado de forma insatisfatória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata de Paula Almeida, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal

Mestre em Ciências da Saúde pela Escola Superior de Ciências da Saúde – ESCS/Fepecs. Especialista em Estratégia Saúde da Família pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. Enfermeira da Estratégia Saúde da Família na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal – SES/DF.

Raissa Maya de Santana dos Santos, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - SES-DF

Médica de Família e Comunidade na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal – SES/DF

Suderlan Sabino Leandro, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - SES-DF

Doutor em Enfermagem pela Universidade de Brasília. Enfermeiro da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal – SES/DF. Docente da Escola Superior de Ciências da Saúde – ESCS/Fepecs e do Centro Universitário UDF

Aline Mizusaki Imoto, Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

Doutora e Mestre em Medicina Interna e Terapêutica pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP, Pós Doutorado em Saúde baseada em Evidências pela UNIFESP e pela University of Ottawa, Canada. Docente permanente do Programa de Mestrado Profissional e Acadêmico em Ciências da Saúde da Escola Superior de Ciências da Saúde – ESCS/Fepecs.

Referências

Brunelli B. Avaliação da presença e extensão dos atributos da atenção primária em dois modelos coexistentes na rede básica de saúde do município de São Paulo [tese]. São Paulo (SP): Faculdade de Medicina; 2016. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 11(38), 1-12. https://doi.org/10.5712/rbmfc11(38)1241

Starfield B. Atenção primária: equilibrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Journal of Chemical Information and Modeling [periódico na internet] 2002.53:726. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ ue000039.pdf Acesso em: 4/5/2017.

Portaria n. 2.436 de 21 de setembro de 2017. Dispõe sobre a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF), 21 set 2017. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html. Acesso em: 4/5/2017.

Coelho EDAC, Silva CTO, Oliveira JF, Almeida MS. Integralidade do cuidado à saúde da mulher: limites da prática profissional. Esc Anna Nery 2009;13(1):

–60. https://doi.org/10.1590/S1414-81452009000100021.

Pierre LAS, Clapis MJ. Planejamento familiar em Unidade de Saúde da Família. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2010; 18(6):[08 telas] nov-dez 2010 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v18n6/pt_17.pdf Acesso em: 4/5/2017.

Distrito Federal. Secretaria de Estado de Saúde. Carteira de Serviços da Atenção Primária de Saúde/DF. Aprovada pela deliberação nº 25 – DODF de 18/11/2016. Brasília, 2016.

Ibañez N, Rocha JSY, Castro PC, Ribeiro MCSA, Forster AC, Novaes MHD, Viana ALD. Avaliação do desempenho da atenção básica no Estado de São Paulo. Cien. Saude Colet 2006; 11(3):683-703. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v11n3/30983.pdf . Acesso em: 4/5/2017.

Almeida, Celia; Macinko, James. Validação de uma metodologia de avaliação rápida das características organizacionais e do desempenho de serviços de atenção básica do SUS em nível local. Relatório Final. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2004. Disponível em: https://opas.org.br/wp-content/uploads/2015/09/Sala55641.pdf. Acesso em: 8/6/2017.

Silva SA, Fracolli LA. Avaliação da Estratégia Saúde da Família: perspectiva dos usuários em Minas Gerais, Brasil. Saúde em Debate [Online]. 2014;38(103):692–705. Disponível em: http://www.gnresearch.org/doi/10.5935/0103-1104.20140064 Acesso em: 4/5/2017.

Fracolli LA, Muramatsu MJ, Gomes MFP, Nabão FRZ. Avaliação dos atributos da Atenção Primária à Saúde num município do interior do Estado de São Paulo – Brasil. O Mundo da Saúde [Online]. 2015;39(1):54–61. Disponível em: http://www.saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/155569/A05.pdf Acesso em: 4/5/2017.

Sala A, Luppi CG, Simões O, Marsiglia RG. Integralidade e Atenção Primária à Saúde: avaliação na perspectiva dos usuários de unidades de saúde do município de São Paulo. Saúde e Soc [Online]. 2011;20(4):948–60. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902011000400012&lng=pt&tlng=pt Acesso em: 8/6/2017.

Chomatas E, Vigo A, Marty I, Hauser L, Harzheim E. Avaliação da presença e extensão dos atributos da atenção primária em Curitiba. Rev Bras Med Família e Comunidade [Online]. 2013;8(29):294–303. Disponível em http://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/828 Acesso em: 3/4/2017.

Araújo R de L, Mendonça AVM, Sousa MF de. Percepção dos usuários e profissionais de saúde no Distrito Federal: os atributos da atenção primária. Saúde em Debate [Online]. 2015;39(105):387–99. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042015000200387&lng=pt&nrm=iso&tlng=em Acesso em: 4/5/2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher : Princípios e Diretrizes / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. 1.ed. Brasília : Editora do Ministério da Saúde; 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Procedimentos. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Primária n. 30).

Silva CSO, Fonseca ADG, Souza LPS, Siqueira LG, Belasco AGS, Barbosa DA. Integralidade e Atenção Primária à Saúde: avaliação sob a ótica dos usuários. Cien Saude Colet [Online]. 2014;19(11):4407–15. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232014001104407&lng=pt&tlng=pt Acesso em: 4/5/2017.

Downloads

Publicado

22.12.2020

Como Citar

1.
Almeida R de P, dos Santos RM de S, Leandro SS, Imoto AM. Avaliação do cuidado sob a ótica da mulher na Estratégia Saúde da Família. Com. Ciências Saúde [Internet]. 22º de dezembro de 2020 [citado 22º de fevereiro de 2024];30(04):23-3. Disponível em: https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/414

Edição

Seção

Saúde Coletiva

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)