Satisfação do(a) usuário(a) trans com os serviços ofertados por um ambulatório de referência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51723/ccs.v34i04.1391

Palavras-chave:

Pessoas Transgênero, Transexualidade, Satisfação do Usuário, Serviços de saúde, Pessoas LGBTQIA+

Resumo

Objetivo: avaliar a satisfação do (a) usuário (a) trans a respeito dos serviços ofertados pelo Ambulatório Trans. Secundariamente, procurou-se identificar as demandas dos (as) seus (suas) usuários (as) e analisar os fatores facilitadores e dificultadores relacionados à satisfação destes (as). Método: para tanto, foi realizado um estudo transversal, exploratório e descritivo, realizado sob a perspectiva de uma avaliação participativa e inclusiva e através de métodos mistos – qualitativos e quantitativos. Resultados: o estudo demonstrou graus adequados de satisfação dos (as) usuários (as) trans para a maioria dos aspectos avaliados; avaliações negativas, quando presentes, relacionaram-se principalmente com a falta de insumos terapêuticos e dificuldade no acesso à realização de procedimentos cirúrgicos.  Conclusão: embora a satisfação do (a) usuário (a) trans tenha sido elevada, o serviço não foi considerado capaz de realizar integralmente o processo transexualizador, haja vista a diversidade e especificidade das demandas do grupo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Trindade C de O, Fontes CAP, Costa EMF, Seidel KF de M, Batista MC, Chiamolera MI, et al. Medicina diagnóstica inclusiva: cuidando de pacientes transgênero - Posicionamento Conjunto. 1o ed. Vieira LMF, organizador. Rio de Janeiro: SBPC; SBEM; CBR; 2019. 36 p.

Coleman E, Walter Bockting, Marsha Botzer, Peggy Cohen-Kettenis, Griet DeCuypere, Jamie Feldman, et al. Normas de atenção à saúde das pessoas trans e com variabilidade de gênero [Internet]. 7o ed. World Professional Association for Transgender Health (WPATH); 2012. 131 p. Disponível em: www.wpath.org

Almeida G, Murta D. Reflexões sobre a possibilidade da despatologização da transexualidade e a necessidade da assistência integral à saúde de transexuais no Brasil. Sex Salud Soc Rio Jan. agosto de 2013;(14):380–407. https://doi.org/10.1590/S1984-64872013000200017

Rocon PC, Sodré F, Rodrigues A, Barros MEB de, Wandekoken KD. Desafios enfrentados por pessoas trans para acessar o processo transexualizador do Sistema Único de Saúde. Interface - Comun Saúde Educ. 5 de agosto de 2019;23:e180633. https://doi.org/10.1590/Interface.180633

Spizzirri G, Ankier C, Abdo CHN. Considerações sobre o atendimento aos indivíduos transgêneros. Diagn Trat. novembro de 2017;22(4):176–9. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-875488

Bockting W, Robinson B, Benner A, Scheltema K. Patient Satisfaction with Transgender Health Services. J Sex Marital Ther. julho de 2004;30(4):277–94. doi: 10.1080/00926230490422467.

Hall JA, Dornan MC. Meta-analysis of satisfaction with medical care: Description of research domain and analysis of overall satisfaction levels. Soc Sci Med. janeiro de 1988;27(6):637–44. DOI: 10.1016/0277-9536(88)90012-3

Bockting WO, Robinson BE, Rosser BRS. Transgender HIV prevention: A qualitative needs assessment. AIDS Care. agosto de 1998;10(4):505–25. doi: 10.1080/09540129850124028.

Shipley K, Hilborn B, Hansell A, Tyrer J, Tyrer P. Patient satisfaction: a valid index of quality of care in a psychiatric service. Acta Psychiatr Scand. abril de 2000;101(4):330–3. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10782555/

Brasil. Redefine e amplia o Processo Transexualizador no Sistema Único de Saúde (SUS). Ministério da Saúde. Portaria no 2.803, de 19 de novembro de 2013. 2013.

Distrito Federal. Protocolo de Acolhimento no Ambulatório Trans/DF. Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal. Portaria no 161 de 21 de fevereiro de 2018. 2018.

Cardoso GCP, Oliveira EA de, Casanova AO, Toledo PP da S, Santos EM dos. Participação dos atores na avaliação do Projeto QualiSUS-Rede: reflexões sobre uma experiência de abordagem colaborativa. Saúde em Debate. 6 de maio de 2019;43(120):54–68. https://doi.org/10.1590/0103-1104201912004

Rodríguez-Campos L, Rincones-Gómez R. Collaborative Evaluations: Step-by-Step, Second Edition [Internet]. 2020 [citado 30 de julho de 2021]. Disponível em: https://doi.org/10.1515/9780804784856

Eyssel J, Koehler A, Dekker A, Sehner S, Nieder TO. Needs and concerns of transgender individuals regarding interdisciplinary transgender healthcare: A non-clinical online survey. PLoS One. agosto de 2017;12(8):e0183014–e0183014. doi: 10.1371/journal.pone.0183014

Greene JC, Benjamin L, Goodyear L. The Merits of Mixing Methods in Evaluation. Evaluation. janeiro de 2001;7(1):25–44. https://doi.org/10.1177/13563890122209504

Esher A, Santos EM dos, Azeredo TB, Luiza VL, Osorio-de-Castro CGS, Oliveira MA. Logic models from an evaluability assessment of pharmaceutical services for people living with HIV/AIDS. Ciência Saúde Coletiva. dezembro de 2011;16(12):4833–44. https://doi.org/10.1590/S1413-81232011001300032

Alföldi F. Savoir Évaluer en action sociale et médico-sociale. Paris: Dunod; 2006.

Avery AM, Hellman RE, Sudderth LK. Satisfaction with mental health services among sexual minorities with major mental illness. Am J Public Health. Junho de 2001;91(6):990–1. doi: 10.2105/ajph.91.6.990

Krüger A, Sperandei S, Bermudez XPCD, Merchán-Hamann E. Characteristics of hormone use by travestis and transgender women of the Brazilian Federal District. Rev Bras Epidemiol. 2019;22(suppl 1):e190004. doi: 10.1590/1980-549720190004.supl.1

Esher Â, Santos EM dos, Magarinos-Torres R, Azeredo TB. Construindo Critérios de Julgamento em Avaliação: especialistas e satisfação dos usuários com a dispensação do tratamento do HIV/Aids. Ciência Saúde Coletiva. Janeiro de 2012;17(1):203-14. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000100022

Publicado

22.05.2024

Como Citar

1.
Mascarenhas AB, Cardoso GCP, de Amorim TR. Satisfação do(a) usuário(a) trans com os serviços ofertados por um ambulatório de referência. Com. Ciências Saúde [Internet]. 22º de maio de 2024 [citado 24º de junho de 2024];34(04). Disponível em: https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1391

Edição

Seção

Seção temática - Mestrado Profissional em Avaliação em Saúde

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)