Intervenções para a prevenção de violência no trabalho da enfermagem: revisão de escopo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51723/ccs.v34i02.1266

Palavras-chave:

Violência no Trabalho, Enfermagem, Intervenção

Resumo

Objetivo: identificar modelos de intervenções para prevenir, coibir e intervir em situações de violência no trabalho da enfermagem. Método: revisão de escopo em etapas: 1) montagem da estratégia de busca nas bases de dados: PubMed, BVS e EMBASE de 2015 a 2023; 2) registro do protocolo no Open Science Framework (OPS); 3) seleção dos artigos por meio da plataforma Covidence online software; 4) extração e análise dos dados. Resultados: identificaram-se 864 estudos, selecionados 114 para a leitura na íntegra e 11 incluídos. A maioria foram pesquisas quase-experimentais, realizadas nos Estados Unidos da América e em ambiente hospitalar. O setor de emergência e o uso da simulação como método de intervenção prevaleceram na análise. Conclusão: há modelos de intervenções que podem ser usados na capacitação de profissionais de enfermagem, com ênfase na simulação como estratégia prevalente e mais indicada na prevenção da violência no trabalho da enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayara Fernandes de Lima, Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

Mestre em Ciências da Saúde pela da Escola Superior de Ciências da Saúde/ Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde. Enfermeira especialista na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES/DF), Brasília, Brasil.

Aline Mizusaki Imoto, Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

Doutorado em Saúde Baseada em Evidências pela Universidade Federal de São Paulo. Docente Permanente do Programa de Pós Graduação Stricto Sensu da Escola Superior de Ciências da Saúde/ Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde, Brasília, Brasil.

Patrizza de Sá Bispo Pedroso, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - SESDF

Enfermeira especialista na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES/DF), Brasília, Brasil.

Heloísa Maria Macedo de Souza, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - SESDF

Enfermeira especialista na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES/DF), Brasília, Brasil.

Leila Bernarda Donato Gottems, Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

Doutora em Administração pela Universidade de Brasília. Docente Permanente do Programa de Pós Graduação Stricto Sensu da Escola Superior de Ciências da Saúde/ Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde. Brasília, Brasil.

Levy Aniceto Santana, Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

Doutor em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília. Docente Permanente do Programa de Pós Graduação Sctricto Sensu da Escola Superior de Ciências da Saúde/ Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde. Brasília, Brasil.

Referências

Pereira CAR, Borgato MH, Colichi RMB, Bocchi SCM. Institutional strategies to prevent violence in nursing work: an integrative review. Rev. Bras. Enferm [Internet]. 2019 [acesso em: 03 out. 2021];72(4):1052-60. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0687.

Silveira J, Karino ME, Martins JT, Galdino MJQ, Trevisan GS. Violência no trabalho e medidas de autoproteção: concepção de uma equipe de enfermagem. J Nurs Health [Internet]. 2016 [acesso em: 03 out. 2021];6(3):436-46. Disponível em: https://doi.org/10.15210/JONAH.V6I3.8387.

Hanson GC, Perrin NA, Moss H, Laharnar N, Gass N. Workplace violence against homecare workers and its relationship with workers health outcomes: a cross-sectional study. BMC Public Health [Internet]. 2015 [acesso em: 03 out. 2021];15(1):11. Disponível em: https://doi.org/ 10.1186/s12889-014-1340-7.

Silva BDM, Martins JT, Moreira AAO. Violência laboral contra a equipe de enfermagem: revisão integrativa. R. Saúde Públ. Paraná [Internet]. 2019 [acesso em: 04 out. 2021];2(2):125-35. Disponível em: https://doi.org/10.32811/25954482-2019v2n2p125.

De Souza Oliveira C, Quina Galdino MJ, Carvalho Barreto MF, Rolim Scholze A, De Melo Gomes JR, Trevisan Martins J. Violencia Ocupacional: experiencias y estratégias de enfermeiros en unidades de atención de emergência. Cienc enferm [Internet]. 2023 [acesso 29 ago. 23]. Disponível em: https://revistas.udec.cl/index.php/cienciayenfermeria/article.

Brophy JT, keith MM, Hurley M. Assaulted and unheard: violence against healthcare staff. New Solutions: New Solut [Internet]. 2018 [acesso em: 04 out. 2021];27(4):581-06. Disponível em: https://doi.org/10.1177/1048291117732301.

Altemir M, Arteaga A. Protocolo de actuación para prevenir y afrontar agresiones al personal sanitario. Enferm Clin [Internet]. 2018 [acesso em: 04 out. 2021]; 28(2): 125-32. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.enfcli.2017.09.002.

Choi S-H, Lee H. Workplace violence against nurses in Korea and its impact on professional quality of life and turnover intention. J Nurs Manag [Internet]. 2017 [acesso em: 04 out. 2021];25(7):508-18. Disponível em: https://doi.org/10.1111/jonm.12488.

Trindade LL, Ribeiro ST, Zanatta EA, Vendurscolo C, Dal Pai D. Agressão verbal no trabalho da enfermagem na área hospitalar. Rev. Eletr. Enferm [Internet]. 2019 [acesso em: 03 out. 2021];21:54333. Disponível em: https://doi.org/10.5216/ree.v21.54333.

Lucena PLC, Costa SFGD, Batista JBV, Lucena CMF, Morais GSDN, Costa BHS. Scientific production on workplace bullying and nursing a bibliometric study. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2018 [acesso em: 03 out. 2021];52. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2017029103354.

Silva CL, Cabral JM, Hino P, Taminato M, Gonçalves GC, Fernandes H. Violência contra trabalhadores de enfermagem na pandemia da COVID-19: revisão de escopo. Acta Paul Enferm [Internet]. 2023. [acesso em: 28 ago. 23];36:eAPE02073. Disponível em https://dx.doi.org/10.37689/acta-ape/2023AR002073.

Martinez AJS. Managing workplace violence with evidence-based interventions: a literature review. J. Psychosoc. Nurs. Mental Health Serv [Internet]. 2016 [acesso em: 03 out. 2021];54(9):31-6. Disponível em: https://doi.org/10.3928/02793695-20160817-05.

Pai DD, Lautert L, Souza SBCD, Marziale MHP, Tavares JP. Violência, burnout e transtornos psíquicos menores no trabalho hospitalar. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2015 [acesso em: 03 out. 2021];49(3):457-4. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-623420150000300014.

Schelb M, De Oliveira MLC, Gottems LBD, Chariglione IPFS. O processo de construção de material educativo para mulheres vítimas de violência. Enferm. Foco [Internet]. 2019 [acesso em: 27 nov. 2021]; 10(6):50-6. Disponível em: https://doi.org/10.21675/2357-707x.2019.v10.n6.2324.

Castro ATB, Rocha SP. Violência obstétrica e os cuidados de enfermagem: reflexões a partir da literatura. Enferm. Foco [Internet]. 2020 [acesso em: 27 nov. 2021]; 11(1):176-81. Disponível em: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2020.v1.2798.

Machado MH, Silva MCN. A violência invisível. Saúde Debate [Internet]. 2016 [acesso em: 04 out. 2021];14. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Joao-Lucas-Campos-De-Oliveira/publication/311753919_Dimensionamento_de_profissionais_de_enfermagem implicacoes_para_a_pratica_assistencial/links/5862aa7c08ae8fce49098742/Dimensionamento-de-profissionais-de-enfermagem-implicacoes-para-a-pratica-assistencial.pdf#page=16.

Strickler J. Staying safe: responding to violence against healthcare staff. Nursing 2019 [Internet]. 2018 [acesso em: 04 out. 2021];48(11):58-2. Disponível em: https://journals.lww.com/nursing/Abstract/2018/11000/Staying_safe__Responding_to_violence_against.15.aspx.

Page MJ, Mckenzie JE, Bossuyt PM, Boutron I, Hoffmann TC, Mulrow CD, et al. The PRISMA 2020 statement: An updated guideline for reporting systematic reviews. Bmj [Internet]. 2021 [acesso em: 04 out. 2021];372. Disponível em: https://doi.org/10.1136/bmj.n71.

Joanna Briggs Institute. Joanna Briggs Institute reviewers’ manual: 2015 edition/supplement. The Joanna Briggs Institute, 2015.

Fernandes CA, Gomes JA, Magalhães BM, Lima AMN. Produção de conhecimento em enfermagem de reabilitação portuguesa – scoping review. Journal Health NPEPS [Internet]. 2019 [acesso em: 05 out. 2021];4(1):282-01. Disponível em: http://dx.doi.org/10.30681/252610103378.

Santos WM, Secoli SR, Puschel VAA. The Joanna Briggs Institute approach for systematic reviews. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2018 [acesso em: 05 out. 2021];26:e3074. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.2885.3074.

Sharifi S, Shahoei R, Nouri B, Almvik R, Valiee S. Effect of an education program, risk assessment clecklist and prevention protocol on violence against emergency department nurses: a single center before and after study. Int Emerg Nurs [Internet]. 2020 [acesso em: 04 out. 2021];100813. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.ienj.2019.100813.

Cordenuzzi ODCP, Lima SBSD, Prestes FC, Beck CLC, Silva RMD, Pai DD. Estrategias utilizadas por la enfermería en situaciones de violencia en el trabajo en hemodiálisis. Rev.Gaúcha de Enferm [Internet]. 2017 [acesso em: 03 out. 2021];38(2). Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2017.02.58788.

De la Fuente M, Schoenfisch A, Wadsworth B, Foresman-Capuzzi J. Impact of behavior management training on nurses’ confidence in managing patient aggression. J Nurs Adm [Internet]. 2019 [acesso em: 04 out. 2021];49(2):73-8. Disponível em: https://doi.org/10.1097/NNA.0000000000000713.

Sanner-Stiehr E, Ward-Smith P. Lateral violence in nursing: implications and strategies for nurse educators. J Prof Nurs [Internet]. 2017 [acesso em: 04 out. 2021];33(2): 113-8. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.profnurs.2016.08.007.

Brann M, Hartley D. Nursing student evaluation of NIOSH workplace violence prevention for nurses online course. J Safety Res [Internet]. 2017 [acesso em: 04 out. 2021];60: 85. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.jsr.2016.12.003.

Schwartz F, Bjorklund P. Quality improvement project to manage workplace violence in hospitals: lessons learned. J Nurs Care Qual [Internet]. 2019 [acesso em: 04 out. 2021];34(2):114-20. Disponível em: htpps://doi.org/10.1097/NCQ.0000000000000358.

Buterakos R, Keiser MM, Littler S, Turkelson C. Report and prevent: a quality improvement project to protect nurses from violence in the emergency department. J Emerg Nurs [Internet]. 2020 [acesso em: 04 out. 2021];46(3):338-44. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.jen.2020.02.010.

Krull W, Gusenius TM, Germain D, Schnepper L. Staff perception on interprofessional simulation for verbal de-escalation and restraint application to mitigate violent patient behaviors in the emergency department. J Emerg Nurs [Internet]. 2019 [acesso em: 04 out. 2021];45(1):24-0. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.jen.2018.07.001.

Lamont S, Brunero S. The effect of a workplace violence training program for generalist nurses in the acute hospital setting: a quasi-experimetal study. Nurse Educ Today [Internet]. 2018 [acesso em: 04 out. 2021];68:45-2. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.nedt.2018.05.008.

Asi Karakas S, Okanli AE. The effect of assertiveness training on the mobbing that nurses experience. Workplace Health e Saf [Internet]. 2015 [acesso em: 04 out. 2021];63(10):446-51. Disponível em: https://doi.org/10.1177/2165079915591708.

Ming J-L, Huang H-M, Hung S-P, Chang C-I, Hsu Y-S, Tzeng Y-M, et al. Using simulation training to promote nurses’ effective handling of workplace violence: a quasi-experimental study. Int. J. Environ. Res. Public Health [Internet]. 2019 [acesso em: 04 out. 2021];16(19): 3648. Disponível em: https://doi.org/10.3390/ijerph16193648.

Bordignon M, Monteiro MI. Uso da simulação na capacitação sobre violência no trabalho da enfermagem. Acta Paul Enferm [Internet]. 2019 [acesso em: 03 out. 2021];32(3):341-9. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-0194201900047.

Burkoski V, Farshait N, Yoon J, Clancy PV, Fernandes K, Howell MR, et al. Violence prevention: technology-enabled therapeutic intervention. Nurs Leadersh (Tor Ont) [Internet]. 2019 [acesso em: 04 out. 2021];32(SP):58-0. Disponível em: https://doi.org/10.12927/cjnl.2019.25814.

Hallett N, Dickens GL. De-escalation of aggressive behaviour in healthcare settings: concept analysis. International Journal Of Nursing Studies [Internet]. 2017 [acesso em: 13 out. 2023]; 75,10-20. Disponível em: https://doi:10.1016/j.ijnurstu.2017.07.003.

Dos Santos Almeida RG, Jorge BM, Souza-Junior VD, Mazzo A, Martins JCA, Negri EC, et al. Trends in research on simulation in the teaching for nursing: an integrative review. Nurs Educ Perspect [Internet]. 2018 [acesso em: 04 out. 2021];39(3): E7-E10. Disponível em: https://doi.org/10.1097/01.NEP.0000000000000292.

Oliveira SN, Prado ML, Kempfer SS. Utilização da simulação no ensino da enfermagem: revisão integrativa. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 2014 [acesso em: 19 set. 2023];18(2):487-495. Disponível em: https://doi:10.5935/1415-2762.20140036.

Jeffries PR, Rodgers B, Adamson K. NLN Jeffries simulation theory: brief narrative description. Nurs Educ Perspect [Internet]. 2015 [acesso em: 04 out. 2021];36(5): 292-3. Disponível em: https://doi.org/10.5480/1536-5026-36.5.292.

Publicado

24.11.2023

Como Citar

1.
Fernandes de Lima M, Mizusaki Imoto A, de Sá Bispo Pedroso P, Macedo de Souza HM, Bernarda Donato Gottems L, Aniceto Santana L. Intervenções para a prevenção de violência no trabalho da enfermagem: revisão de escopo. Com. Ciências Saúde [Internet]. 24º de novembro de 2023 [citado 24º de maio de 2024];34(02). Disponível em: https://revistaccs.escs.edu.br/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/1266

Edição

Seção

Saúde Coletiva

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)